FATOS DA HISTÓRIA

DA MAÇONARIA


MAÇONARIA: MAIS ANTIGA E MAIOR

A Maçonaria é a mais antiga e, de longe, a maior irmandade do mundo. Suas LOJAS se espalham por todos os rincões do planeta e pode-se afirmar que o sol nunca se põe no firmamento da Loja Maçônica.

A Maçonaria é tão antiga que muitos estudiosos chegam a afirmar que, de alguma forma, ela sempre teria existido, perdendo-se no tempo o local e a época de sua origem. Existem evidências de que mesmo antes de Cristo já teria existido alguma espécie de fraternidade nos moldes maçônicos. A Maçonaria sobreviveu a várias fases de transição que tiveram lugar durante a Idade Média.

Durante o período medieval a palavra "livre" foi prefixada ao nome "pedreiro" (formando a expressão "pedreiro-livre", em inglês = freemason; em francês = franc-mason; alemão = freimaurer) porque, possuindo conhecimentos e técnicas não encontrados em poder de outros, aqueles homens eram muito mais trabalhadores livres do que servos vinculados, e tinham a liberdade de viajar de um país para outro. Os maçons (pedreiros-livres) construíram a maioria das catedrais góticas e outros prédios públicos na Europa continental e na Inglaterra.

Os maçons constituíram uma organização estritamente operativa (ou seja, de pedreiros trabalhadores), e se mantiveram unidos pelos elos das guildas de então até aproximadamente o século XVI. Naturalmente, para se preservarem de imposturas, desenvolveram modos peculiares de reconhecimento e de identificação de seu trabalho. Daí, em princípios do século XVII, com o fim do período de construção das grandes catedrais, homens de relevância no meio social foram admitidos como "pedreiros aceitos" ou "maçons aceitos". Em breve os "maçons aceitos" acabaram por tornarem-se maioria, passando, assim, a Maçonaria de operativa a filosófica e especulativa.

LOJA MAÇÔNICA

A organização básica da Maçonaria é a Loja Maçônica, também denominada loja simbólica, loja azul ou loja obreira. É a loja que procede a iniciação (admissão de candidato a membro da maçonaria) concedendo os graus de aprendiz, companheiro e de mestre maçom.

O SISTEMA DE GRANDE LOJA

Em 24 de junho de 1717, em Londres, os membros de quatro Lojas reuniram-se para formar a Grande Loja da Inglaterra. É a partir desse fato histórico que toda a maçonaria moderna encontra a origem de seu sistema de governo baseado em Grandes Lojas. Presentemente existem mais, no mundo, de 300 Grandes Lojas, às vezes com a denominação de Grande Oriente. No Paraná estão sediadas 4 Grandes Lojas: o Grande Oriente do Estado do Paraná, a Grande Loja do Paraná, o Grande Oriente do Paraná e a Grande Loja Unida do Paraná (em ordem de antigüidade), congregando cerca de 230 Lojas e cerca de 10.000 maçons em atividade.

Nos Estados Unidos a maçonaria chegou por volta de 1730 e seus membros tiveram relevante papel nos fatos da história daquele país. George Washington, Thomas Jefferson e Benjamin Franklin foram alguns dentre eles.

A cédula de um dólar apresenta diversos símbolos maçônicos, identificados pelos iniciados e estudiosos.

No Brasil a maçonaria esteve presente já na Inconfidência Mineira, da qual integrantes eram maçons iniciados em Lojas na Europa e Estados Unidos. A maçonaria teve relevante papel em nossa história, especialmente nos acontecimentos do século passado, onde os maçons foram a vanguarda dos movimentos pela independência, pela abolição da escravatura e pela proclamação da República. Maçons famosos daqueles tempos foram José Bonifácio, Gonçalves Ledo, Dom Pedro I, Benjamin Constant, Casemiro de Abreu, Campos Sales, Padre Diogo Antôni Feijó, Eusébio de Queiroz, Rangel Pestana, Francisco Gê de Acaiaba Montezuma, Marechal Hermes da Fonseca, José da Silva Lisboa (Visc. de Cayrú), José do Patrocínio, Joaquim Nabuco, José Maria da Silva Paranhos (Juca Paranhos, Visconde do Rio Branco), Lauro Sodré, Luiz Alves de Lima e Silva (Duque de Caxias), Deodoro da Fonseca, Nilo Peçanha, Nunes Machado, Prudente de Morais, Quintino Bocayuva, Garibaldi, Floriano Peixoto, Silva Jardim, Rui Barbosa, Carlos Gomes e muitos outros.

Dentre os que viveram no Paraná: Dario Vellozo, Emiliano Perneta, Des. Athos Vellozo, Euclides Bandeira, General Gomes Carneiro, Saldanha Marinho, Pamphilo de Assumpção, Generoso Marques, Marechal Cardoso Junior, Trajano Reis, Jaime Reis, Sebastião Paraná, Castorino Rodrigues, Silas Pioli, Hugo Simas, Ubaldino do Amaral, Visconde de Taunay, Vieira Neto, Couto Pereira e tantos outros cujos nomes as ruas e praças estão a preservar.

 


SEGREDOS MAÇÔNICOS.

VOLTA À PÁGINA PRINCIPAL.